segunda-feira, 24 de março de 2008

Mais retratam, que retratos

Já que a série "álbum de família" fez algum sucesso, levanto a poeira e dou a volta por cima e conforme o prometido, posto mais algumas dessas maravilhas instantâneas.

Introduzindo, uma de minha mãe à beira da piscina tomando sua coca-cola. O óculos é uma belezura e o clima "tarde de verão" idem. Ao olhar a fotografia, lembrei de quando comprava-se filmes. No post anterior, já discursei a nostalgia do papel. Agora, celebro a facilidade da digitalização: definitivamente não precisar revelar o filme é prático.

A praticidade luta bravamente com o inesperado. Ganhar presente sem embrulho é uma das coisas mais sem graças do mundo, não é?! Na foto, meu tio e meu avô divertindo-se e divertindo.


Nessa, minha mãe lembrou-me a Débora Fallabela. Talvez pelo corte de cabelo meio Chuck, seu marido. Cintura marcada pela saia godê com botõezinhos. A blusa tem manga fofa.

Esse era o uniforme de trabalho de mamãe. Um terninho cor de vinho e riponga-jovem-guarda. A calça era pantalona.

É só, por enquanto. Prometo atacar a rinite novamente mais tarde.

6 comentários:

Márcia Mesquita disse...

ótimo!!!

eu ainda to esperando a foto do vestido de noiva da minha tia feito de jeans eheheheh

bjs

Pedro Beck disse...

Muito bom! Muito luxo ter uma mãe que parece a Debora Falabella, hein?! Huahuahuauha.

Só acho errado apropriar o corte de cabelo ao Chuck. Qualquer menininha ou menininho pseudo moderninho de São Paulo tem este corte de cabelo - há alguns anos.

Beijão!
Beck

Laura Artigas disse...

oi! obrigada pelo comentário. e esse post familiar está ótimo.
beijos

Ikki disse...

ainda me assusto um pouco quando vejo cores tão fortes assim que eram muito usadas né... calças coloridas, uniformes de trabalho coloridos, acho diferente...

hehe

podia voltar né? Eu adoraria ter coragem de usar.

Pedro Beck disse...

Menina Pri,

O que precisamos fazer para você atualizar mais vezes? =)

Beijão!

Rachel disse...

Sua mãezinha é muito fofa!!!
beijões