quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A hora da estrela


Álvaro Costa e Silva escreveu, em reportagem recente, que gostaria de ter conhecido Clarice Lispector, apesar do risco de decepção comum quando se trata de escritores. Sempre achei que o que me interessa é lê-los e não ouvi-los. Mas não é que com Clarice eu também abriria uma exceção? Além do mais, é constatável que a sua desenvoltura com a palavra falada é mesmo parecida com a palavra escrita, apesar de serem tão diferentes... Pude constatar isso na entrevista disponível na exposição “Clarice Lispector / A Hora da Estrela” do CCBB.

É certo que quando estamos inseridos num universo, olhamos tudo a nossa volta de maneira diferente. Ou seja, incluindo um universo em outro. E na exposição, eu olhei as modas de Clarice: seu olhar bem delineado, suas roupas e seu modo de portar-se nas fotografias. Logicamente que não olhei apenas isso, além do mais, é uma mostra cheia de palavras... É especialmente interessante a parte em que há uma espécie de arquivo enorme, com gavetas guardando/contando sua história. É possível sentir-se naqueles filmes onde o investigador busca incansavelmente por provas que desvendem o mistério, apesar do mistério, nesse caso, ser algo difícil de decifrar. Nem mesmo olhando nos olhos, já o entendimento cabe a cada um.... Além disso, “ver é a pura loucura do corpo”.

A exposição fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil até o dia 28 de setembro, de terça a domindo, de 10 às 21 horas.

11 comentários:

Claudia Pimenta disse...

oi priscila! é impressionante como a clarice continua atual... na verdade, ela é atemporal! uma mulher e tanto! ainda não fui na expo, mas já está anotada... é imperdível, não? bjs, querida!

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Oiiii Priscila, primeira visita no seu blog e adoooorei, não li tudo ainda, voltarei com calma pra anotar muita coisa na minha agendinha, que legal que vc faz curso com a Iesa, sou fã.
Bjobjo e parabéns pelo blog.

Ana Carolina disse...

Esse mulher tinha um charme...puxa vida.
A exposição é item obrigatório!!! Vamos todos :)
Beijoca!!!!!!!!!!!!

Bel disse...

Gosto dos textos da Clarice. Não sei sua história a fundo, nem li os livros nem nada de especial, mas há passagens marcantes...
É uma pena eu não estar no Rio pra expo. E linkei o Moda Pára Tudo lá no Fashion!
Beijos

[mega] Paulo Mamedes disse...

Com certeza!
Clarisse sempre!

Não vou pedir demissão não...mas no futuro quero ser meu proprio patrão!

Marcela disse...

Nuss desculope a ignorânica mas esse CCBB é o do Rio( não sei se tem em outros estados).

Se for vou lá amanhã msm!!!!!


bju e vlw pela visita!

Nanyzinha disse...

Perdoe-me a demora para comentar e dar sinal de vida...rs
Estou tentando aos poucos atualizar meu blog mas tá difícil.
Eu vou começar segunda-feira o curso de Consultor de Moda lá e vc tem feito mais alguma coisa???
Obs.:Gataaa... seu blog tah show, li quase todos os textos, quem sabe quando eu tiver 24 aninhos esteja tão bem quanto vc, preciso me dedicar mais a vida de blogueira ( ou jornalista)Ah... meu blog está em construção mas se puder divulga ele???) Bjuzão Pri...sucesso

ranuzia disse...

honey adorei o seu blog. Tb fui na exposição da clarice e confesso que ela é demais...mulheres assim é que me fazem sentir orgulho de ser mulher, e não essas mulheres frutas...rs!

beijos

Helena Castro disse...

priscila, pelo o que vc descreveu, eu vi essa mesma exposição no múseu da língua portuguesa em são paulo! foi nessas gavetas que descobri, nos envelopes de suas correspondências, os seus endereços. ela viveu muito tempo no bairro que eu moro (leme/rj)! vou ver se revejo essa exposição que é mesmo ótima.

beijos, helena

Tássia Cavalcante disse...

Eu gostava muito de clarice. E só tinha lido alguns textos pequenos, contos publicados em jornal do livro Aprendendo a viver. Quando começei a ler o primeiro livro não gostei, senti um clima forçado de palavras estranhas e sentimentos extremamente definidos em palavras toscas.

Mesmo assim acho interessante o humor dela, ficou maracdo e é único na literatura brasileira.

Sheyla disse...

Priscila,
Como disse no blog da Claudia Pimenta, fui especialmente a São Paulo só para ver a exposição, quando ela estava por lá. Desde novinha, Clarice esteve próxima a mim na mesinha de cabeceira. A minha monografia foi sobre um estudo de "A Paixão Segundo G.H.", então sou suspeita para falar.
Quem puder ir, corra! É imperdível!
Bjs mil